SIN KILLER webzine – Reviews: 01/01/11 - 01/02/11

segunda-feira, janeiro 24, 2011

Antidemon (Show -Review) A day of total crushing antichrist!!!!

Antidemon – 17 anos . 15/01/2011
Eis o meu primeiro show de 2011. Começei bem, sorry chifrudo. Em off durante algum tempo, para refrescar minha mente, minha vida, meu coração, my mind was black, resolvi voltar com o SIN KILLER. Antes, fui ver os shows do Dynasty e Seven Horizonz.
O que se nota de imediato, em relação aos velhos e alguns bons tempos, são mesmo a mudança de nome e local, pequeno mas parece abrigar bem os seguidores anti-satan comandado pelo o Batista (Bass and frontman) do Antidemon. Ao contrário do que eu esperava, eu consegui entrar, mas impossível ficar até o final, believe or not, eu tentei. Não tinha ventilação nenhuma e o pessoal estavam se matando nos socos, cotoveladas, e eu não quis correr o risco para conseguir uma foto boa, isso implicaria em sair machucado. Hahahaha. O palco não suporta performances tipo a do Antidemon, mas não pense que isso intimida eles. O som atual soa mais técnico , apesar do novo guitarrista parecer em fase de adaptação. O vocal do Batista é um dos mais incríveis, quando eu penso sobre death metal. Isso se tornou muito genérico, mas ele está na lista dos que fazem com classe. Suas apresentações, são bem intensas e completas!A Crash não estava lotada, com muitas pessoas lá fora, e isso é tudo o que eu tinha pra falar do set, com base apenas na parte que eu presenciei.
Encontrar alguns velhos e novos amigos nesses shows, sempre é bom, e aproveitei pra checar as exposições dos desenhos do Batista, e comprar uma shirt do novo cd, Satanichaos. (Killer desing!!!)
Em resumo, foi um ótimo show, comemorando seus 17 anos de vida, em casa e fazendo o seu melhor, que é a guerra contra satan.O que eu tenho a dizer pra finalizar? orem pelo o Antidemon! Deus usa essa banda!Setlist incompleto. “Cães do Inferno”, “Insanos Condenados”, "Maldito Lúcifer”, "Massacre", "Em quem vou acreditar”, "Usuário”, "Profundo abismo" e “Guerra ao Inferno”...
Anyway, crush the bloodied horns of the goat!!
By Norman Lima

quinta-feira, janeiro 13, 2011

DYNASTY - WARRIORS OF THE KING - Indie

Depois de um longo período de problemas, de "vai não vai" ,com gravadora, com produção e mixagem, particulares, mudanças na formação eis que temos em mãos o segundo trabalho do quinteto mineiro cristão e um dos nomes que é sem dúvida um dos mais representativos na cena; tempos depois do lançamento do cd foi anunciado o fim da banda, mas felizmente eles estão de volta.
Começando pela capa que é uma obra prima (e que somente os cristãos podem entender com precisão, sabedoria e respeito; aos curiosos leiam na BÍBLIA, APOCALIPSE)
uma vez mais feita pelo artista Marcus Ravelli e que já mencionei inclusive à banda-daria uma das mais lindas camisetas ou capa de lp que jamais poderiam ser feitas- musicalmente e mais importante é aonde residem as maiores mudanças: tecladista Gustavo Ivon deixou a banda por falta de tempo para dedicar-se e a cozinha baixista Ivan Almeida e baterista Ademir Machado foram substituídos respectivamente por Samuel Martins e Tiago Hadriez.
Musicalmente eles se mantem firmes no power metal melódico mas sem exageros ou trá lá lás, e agora a sonoridade está mais pesada e agressiva com vocalizações seguindo a nova tendencia e um instrumental bem mais tradicional e "gordo" o que foi um ponto positivo pois conseguiram eles ter o album licenciado na Alemanha pelo selo Pure Steel Rec ; a cozinha ritmica está bem mais pulsante e agitada e as guitarras mais cortantes com riffs mais poderosos e bons solos; as letras como sempre são pura e explicitamente cristãs, goste ou não (eu AMO) mas o vocalista e letrista Nahor Andrade poderia ter tido um pouco mais de cuidado pois a impressão é que alguns trechos foram traduzidos ao pé da letra direto do portugues, mas afora este detalhe são boas. Todas as músicas seguem um nível elevado de qualidade, mas particularmente apreciei muito o quarteto de início "Faith" "Life is a Miracle" "Warriors of the King"(um hino para se cantar em shows) e "Holy Fire" e também "Blood War" que segue mais o estilo do primeiro cd, porém bem mais pesada; não desmerecendo de forma alguma as que se seguem, todas ótimas músicas, para balançar os pulsos, bater cabeça e adorar ao SENHOR. Como bonus o quinteto gravou uma boa versão de "See No Evil", homenagem ao HOLY SOLDIER, ficou legal mas um pouco fora do estilo musical/vocal da banda, ou seja uma música puramente hard rock aqui metalizada.
[08] / [10]
By Eduardo de Souza Bonadia - Strike

quarta-feira, janeiro 05, 2011

SAINT – ALIVE FOREVER dvd

Provavelmente o dvd mas esperado do ano, pelo menos para os fãs da banda.
Se eu fosse citar alguns pontos negativos no show diria que faltou mesmo uma segunda guitarra, não que Jerry Johnson não tenha segurado o rojão pois teve uma performance brilhante mas faltou peso em algumas partes.
Outra parte negativa foi  as luzes do palco muito escuras, não souberam usar os recursos que tinham em mãos, o jogo de luzes parecem muito bom mas...E fica difícil saber se haviam muitas pessoas no show.Ultimo detalhe foi o set list, faltou alguns clássicos como 'warriors of the son','abyss','space cruzer', 'time's end', 'phantom of the galaxi','too late for living','the rock'...existem muitas outras canções que ficaram de fora como por exemplo eles não tocaram nenhuma música (ou se tocaram não foi incluido no dvd) do álbum Crime Scene Earth. Uma curuiosidade, eles tocaram mais músicas do The Mark do que do último Hellblade, e a novidade mesmo ficou com a música To Live Forever do álbum Perfect Life que seria do quarto album da banda "To Live Forever" pouco ante antes do fim em 89./

Os lados positivos: Josh Kramer foi perfeito os backing de Richard Lynch e seu baixo também perfeitos e Larry london também foi excelente tocando as musica do Hellblade com estilo do baterista original da gravação Bill Brost. Não conhece o Saint, veja isso.

By Edson O. 

Pesquisar este blog